Gelo marinho a partir do espaço - Investigar o gelo marinho do Ártico e a sua ligação ao clima

Breve descrição

Neste conjunto de três actividades, os alunos irão investigar o gelo do mar Ártico. Primeiro, realizarão uma atividade prática para descobrir o que acontece "quando o oceano congela". Depois, utilizarão imagens de satélite para analisar a concentração e a extensão do gelo marinho e a forma como estes parâmetros se alteraram nas últimas décadas. Aprenderão em que parte do mundo é possível encontrar gelo marinho e analisarão dados de satélite actualizados e de longo prazo sobre a concentração de gelo marinho no Ártico. Esta atividade trata de um dos indicadores mais importantes de que os cientistas dispõem para estudar as alterações climáticas e as suas possíveis consequências.

Assunto Geografia, Ciências

Objectivos de aprendizagem
  • Saiba o que é o gelo marinho e onde pode ser encontrado na Terra
  • Compreender a importância do gelo marinho e a sua relação com o clima da Terra
  • Compreender como as acções humanas e os processos físicos interagem para influenciar e alterar os ambientes paisagísticos e o clima
  • Utilizar ferramentas disponíveis na Internet para recolher e analisar dados de satélite
  • Compreender como os satélites de observação da Terra podem ser utilizados para caraterizar e monitorizar os gelos marinhos
Faixa etária
13 - 17 anos de idade
Tempo
aproximadamente 30 minutos por atividade
Recurso disponível em:
Atividade 1: Quando o oceano congela
Nesta atividade, os alunos compreenderão algumas propriedades do gelo marinho, comparando blocos de gelo feitos de água doce e de água salgada. Compreenderão o que acontece quando a água salgada congela e a importância do gelo marinho.
Equipamento
  • Ficha de trabalho dos alunos para cada grupo
  • Dois frascos ou chávenas de 250 ml
  • Colher de chá
  • Tabuleiro
  • Frasco de medição
  • Sal de mesa
  • Corante alimentar
Atividade 2: O gelo marinho hoje
Nesta atividade, os alunos irão aprender sobre a distribuição global do gelo marinho. Analisarão também dados de satélite actualizados sobre a concentração de gelo marinho no Ártico.
Atividade 3: O gelo marinho ao longo das estações
Nesta atividade, os alunos debaterão as suas expectativas relativamente às alterações sazonais do gelo marinho e analisarão dados de longo prazo sobre a extensão do gelo marinho. Identificarão as tendências a curto e a longo prazo que ajudam a caraterizar e a monitorizar o gelo marinho. 

Sabia que?

O nível do mar é um índice muito sensível das alterações climáticas. Sob a forma de gelo, o gelo marinho já está a contribuir com o seu volume para os oceanos. Assim, quando derrete, não aumenta o volume dos oceanos. No entanto, a fusão do gelo marinho altera a salinidade dos oceanos, afectando as correntes oceânicas e, consequentemente, o sistema climático global. O derretimento do gelo terrestre, como os glaciares e as calotes polares, por outro lado, contribui para o volume dos oceanos e para a subida do nível do mar. Centrado nos oceanos, o satélite Copernicus Sentinel-3 pode medir e monitorizar as alterações do nível do mar. Esta informação é essencial para compreender o nosso clima, bem como os riscos para as zonas costeiras vulneráveis à subida do nível do mar.

Causas e Conseqüências

Neste pequeno vídeo, a Dra. Natalie Douglas, uma cientista do clima, explica quais poderão ser algumas das causas e consequências das alterações climáticas e porque é que uma diferença de temperatura de 0,5 graus pode ser tão importante....

O ciclo do carbono

Breve descrição Neste conjunto de três actividades, os alunos irão aprender sobre o ciclo do carbono e utilizá-lo para identificar...

O ciclo da água

Breve descrição Neste conjunto de seis actividades, os alunos irão aprender sobre o ciclo da água e, em particular, como a água...

Astro-agricultor

Breve descrição: Neste conjunto de seis actividades, os alunos irão investigar quais os factores que afectam o crescimento das plantas e relacionar esses factores com...

Saber mais sobre o nível do mar

Saiba como as alterações climáticas estão a provocar a subida dos nossos mares e como os satélites têm medido sistematicamente a altura da superfície do mar desde 1992.