Projetos de Detectives Clim√°ticos 2019-2020

Tópico do projecto: Incêndios florestais

T√≠tulo do projeto: Uma investiga√ß√£o sobre inunda√ß√Ķes repentinas e inc√™ndios florestais no oeste da √Ātica

Equipe: Exploradores de inunda√ß√Ķes e inc√™ndios florestais ¬†Projecto Altamente Recomendado

2019-2020   Centro Internacional de Educação da Escola Moraitis   Atenas   Grécia   6 A idade do aluno: 14-15


Resumo do projeto

Os inc√™ndios florestais podem contribuir significativamente para o aumento da ocorr√™ncia de inunda√ß√Ķes repentinas, frequentemente causadas por tempestades fortes. Investig√°mos este fen√≥meno na zona ocidental da √Ātica, perto de Atenas, centrando-nos em dois casos: 1) A recente inunda√ß√£o repentina em Kineta, em 25/11/19, relacionada com o inc√™ndio florestal no Monte Geraneia do ano anterior (em 23/7/18 - o mesmo dia do terr√≠vel inc√™ndio de Mati) 2) A inunda√ß√£o mortal em Mandra, em 15/11/17, relacionada com v√°rios inc√™ndios florestais no Monte Pateras em anos anteriores. Examin√°mos as altera√ß√Ķes do microclima antes e depois dos inc√™ndios e das inunda√ß√Ķes, as anomalias do clima local durante os √ļltimos 40 anos, bem como as condi√ß√Ķes meteorol√≥gicas locais nos dias das tempestades. Base√°mo-nos em dados de observa√ß√£o remota do sat√©lite Copernicus fornecidos pela ESA, no Climate Data Store-ERA 5 explorer e em dados clim√°ticos locais fornecidos pelo HNMS (Hellenic National Meteorological Service). A desfloresta√ß√£o √© um problema ambiental grave. A probabilidade de inunda√ß√Ķes aumenta com a desfloresta√ß√£o e a eros√£o do solo que lhe est√° associada. A desfloresta√ß√£o √© frequentemente o resultado de inc√™ndios florestais. Nos √ļltimos anos, os inc√™ndios florestais t√™m tido consequ√™ncias graves para a biodiversidade em todo o mundo (Amaz√≥nia, Sib√©ria, Alasca, Austr√°lia). Neste estudo, investig√°mos a rela√ß√£o entre os inc√™ndios florestais e as subsequentes inunda√ß√Ķes repentinas na √Ātica ocidental, perto de Atenas, na Gr√©cia. Um dos fen√≥menos das altera√ß√Ķes clim√°ticas √© a ocorr√™ncia de condi√ß√Ķes meteorol√≥gicas mais extremas, como a ocorr√™ncia de longos per√≠odos de seca seguidos de chuvas fortes. O ar mais quente na atmosfera pode reter mais √°gua, o que aumenta o potencial de inunda√ß√Ķes repentinas. Estas s√£o frequentemente intensificadas por tempestades locais graves e pela falta de planeamento urbano. Os impactos imediatos das inunda√ß√Ķes e dos inc√™ndios florestais incluem a perda de vidas humanas e animais, danos √† propriedade, degrada√ß√£o dos recursos naturais, destrui√ß√£o de culturas, n√£o funcionamento de infra-estruturas. Estas situa√ß√Ķes podem ter graves repercuss√Ķes econ√≥micas, sociais e psicol√≥gicas.

Principais resultados

Os nossos resultados referem-se √† FIG 1-9, da qual se podem tirar conclus√Ķes. O inc√™ndio de 23/7/18 no Monte Geraneia, acima de Kineta, queimou 60 000 hectares, 53 000 dos quais eram √°reas florestais. A destrui√ß√£o da floresta desempenhou um papel fundamental no epis√≥dio de inunda√ß√£o um ano depois, em Novembro de 2019, uma vez que a √°gua que veio com √≠mpeto das montanhas n√£o foi contida pela vegeta√ß√£o e varreu muitas √°rvores queimadas. Na FIG 1-2, comparamos a vegeta√ß√£o antes e depois do inc√™ndio florestal utilizando o NDVI (√ćndice de Vegeta√ß√£o por Diferen√ßa Normalizada) em https://apps.sentinel-hub.com/eo-browser. Do mesmo modo, na FIG 3-4, comparamos a humidade do solo utilizando o √≠ndice de humidade. √Č evidente nestas figuras que, antes dos inc√™ndios, a vegeta√ß√£o era mais intensa e o solo mais h√ļmido. Em seguida, examin√°mos as anomalias do clima local durante os √ļltimos 40 anos, utilizando o site https://cds.climate.copernicus.eu/apps/c3s/app-era5-explorer. No gr√°fico 5, a anomalia da precipita√ß√£o anual para os anos 1979-2019 √© apresentada em percentagem relativamente ao per√≠odo de refer√™ncia de 1981-2010. No gr√°fico 6, a anomalia da temperatura anual √© apresentada sob a forma de riscas de aquecimento. Com base nestes gr√°ficos, calcul√°mos que, nos √ļltimos 20 anos, se registou um aumento m√©dio anual da precipita√ß√£o de +14% e um aumento da temperatura de +0,5¬įC. Os par√Ęmetros meteorol√≥gicos nos dias das duas inunda√ß√Ķes foram examinados utilizando dados da esta√ß√£o meteorol√≥gica pr√≥xima em Eleusis, gentilmente cedidos pelo HNMS (Hellenic National Meteorological Service). Na FIG. 7, a inunda√ß√£o de Kineta coincidiu com o registo m√°ximo de 31 mm de chuva. No entanto, como se pode ver na FIG. 8, h√° pouca precipita√ß√£o registada durante a inunda√ß√£o de Mandra. Isto indica que a inunda√ß√£o teve um car√°cter particularmente local. A extrema rapidez da tempestade √© mostrada na FIG 9, onde a taxa de precipita√ß√£o excede os 100 mm/hora.

A√ß√Ķes para ajudar a amenizar o problema

A √Ātica sofreu duas grandes cat√°strofes nos √ļltimos anos. O inc√™ndio florestal de Mati, em 2018, e a inunda√ß√£o repentina de Mandra, em 2017, custaram 129 vidas, incluindo crian√ßas. Os danos ambientais causados pelos inc√™ndios florestais est√£o frequentemente associados a um maior risco de inunda√ß√Ķes. Os inc√™ndios florestais em grande escala alteram drasticamente o terreno e as condi√ß√Ķes do solo. Normalmente, a vegeta√ß√£o absorve a precipita√ß√£o, reduzindo o escoamento, enquanto os inc√™ndios florestais deixam o solo carbonizado, est√©ril e incapaz de absorver √°gua, criando condi√ß√Ķes prop√≠cias a inunda√ß√Ķes repentinas e fluxos de lama. O risco de inunda√ß√£o permanece significativamente mais elevado at√© que a vegeta√ß√£o seja restaurada, o que demora anos ap√≥s um inc√™ndio florestal. √Č urgente tomar medidas para evitar estes acontecimentos, n√£o s√≥ para proteger o nosso ambiente, mas tamb√©m para proteger imediatamente as nossas comunidades. Inicialmente, precisamos de proteger as florestas e acelerar a refloresta√ß√£o. Uma solu√ß√£o r√°pida para minimizar a eros√£o do solo seria enriquec√™-lo atrav√©s da adi√ß√£o de subst√Ęncias nutritivas. Garantir uma sec√ß√£o transversal adequada para os cursos de √°gua tamb√©m √© importante. A implementa√ß√£o de um sistema digital de alerta precoce, tanto para inc√™ndios florestais como para inunda√ß√Ķes repentinas, poderia salvar vidas e h√° muito que deveria ter sido implementado. Al√©m disso, √© da maior import√Ęncia sensibilizar as pessoas para a necessidade de proteger o nosso habitat natural. Na √Ātica, tanto a temperatura como a precipita√ß√£o registaram um aumento significativo nos √ļltimos 20 anos. √Č crucial reduzir as emiss√Ķes de carbono na ind√ļstria e nos transportes, recorrendo a fontes de energia renov√°veis em vez de combust√≠veis f√≥sseis. O efeito das altera√ß√Ķes clim√°ticas no risco de inc√™ndios florestais e inunda√ß√Ķes √© tamb√©m potenciado por factores sociais (por exemplo, o crescimento da popula√ß√£o na interface urbano-florestal), que tendem a aumentar a escala e a dura√ß√£o das consequ√™ncias ecol√≥gicas e econ√≥micas adversas. Por √ļltimo, os efeitos psicol√≥gicos destes fen√≥menos n√£o devem ser subestimados. A desloca√ß√£o de uma pessoa da sua casa, a perda de bens, de meios de subsist√™ncia e a perturba√ß√£o dos assuntos sociais podem causar um stress cont√≠nuo, que pode ser esmagador e produzir um impacto psicol√≥gico duradouro.


Os projetos s√£o criados pelas equipes e elas assumem a responsabilidade total pelos dados compartilhados.
‚Üź Todos os projetos