Projetos de Detectives Clim√°ticos 2018-2019

Tópico do projecto: Incêndios florestais

Título do projeto: Estudo sobre o impacto do incêndio de 23 de julho de 2018 no microclima de Rafina, utilizando dados de satélite fornecidos pela ESA

Equipe: EQUIPA ESPACIAL RAFINA  Prémio LPS CD Escola

2018-2019¬†¬† 3¬ļ Centro de Laborat√≥rios da √Ātica Oriental - 1¬ļ Liceu de Rafina¬†¬† RAFINA ¬† Gr√©cia ¬† 10 A idade do aluno: 14-15


Resumo do projeto

No in√≠cio da tarde de segunda-feira, 23 de julho de 2018, deflagrou um inc√™ndio florestal na floresta, 20 km a nordeste de Atenas e 5 km a oeste da costa oriental da √Ātica. O inc√™ndio, classificado como um inc√™ndio de copa, ajudado por ventos muito fortes com uma velocidade aproximada de 90 km/h, atravessou a autoestrada principal da zona num per√≠odo de tempo muito curto. O fogo acabou por parar, mesmo junto √† linha de costa. As dif√≠ceis condi√ß√Ķes climat√©ricas, a morfologia da zona e a configura√ß√£o da cidade provocaram o aprisionamento de um grande n√ļmero de pessoas. Esta cat√°strofe provocou muitos danos na paisagem, tais como a grande redu√ß√£o da biomassa florestal, o escoamento da √°gua em direc√ß√Ķes imprevistas, a inunda√ß√£o de bairros, o transporte de materiais florestais naturais queimados atrav√©s de aquedutos e ribeiras em dire√ß√£o ao mar, bem como a deteriora√ß√£o do novo microclima que se formou nas √°reas florestais circundantes. Esta situa√ß√£o levou-nos a aprofundar a investiga√ß√£o sobre as altera√ß√Ķes causadas no clima e no solo da nossa zona. As ferramentas fornecidas pela plataforma Copernicus e pela ESA ajudaram-nos muito a atingir o nosso objetivo. Investig√°mos as altera√ß√Ķes no microclima utilizando: ‚¶Ņ Programa Copernicus: Dados utilizados dos sat√©lites SENTINEL2A,2B e LANDSAT8. √ćndices de vegeta√ß√£o (dados EO): (NDVI, SAVI, GNDVI, PSSR), e √≠ndices de solo (SOIL COMPOSITION INDEX, MIR/Red Eisenhydroxid-Index, Ferrous Silicates, Normalized Difference Salinity Index), para observar as mudan√ßas e diferen√ßas de valores, em rela√ß√£o √†s propriedades da vegeta√ß√£o e do solo antes e depois dos inc√™ndios florestais. As tend√™ncias, especialmente para os efeitos na vegeta√ß√£o, s√£o facilmente vis√≠veis. ‚¶Ņ Dados Landsat8: cri√°mos um diagrama de compara√ß√£o que mostra as diferen√ßas de temperatura antes e depois dos inc√™ndios ‚¶Ņ Dados de imagem (dados EO): identific√°mos a √°rea ardida. ‚¶Ņ Deline√°mos as diferen√ßas na composi√ß√£o do solo, no que diz respeito a diferentes composi√ß√Ķes qu√≠micas e de carbono, antes e depois do inc√™ndio.

Principais resultados

Ap√≥s o nosso estudo, podemos ver, como esper√°vamos, que o microclima da √°rea mudou e a vegeta√ß√£o foi seriamente afetada. Vimos a diferen√ßa na vegeta√ß√£o da √°rea usando o NDVI, onde notamos uma mudan√ßa dr√°stica nos pre√ßos. No per√≠odo de tempo entre 2016 e o inc√™ndio, costumava variar entre 0,3 e 0,45, mas houve uma queda dr√°stica no dia do desastre. A recupera√ß√£o da biomassa florestal come√ßou ap√≥s o inc√™ndio florestal em julho de 2018 e continuou gradualmente at√© abril de 2019. As taxas come√ßaram a aumentar novamente, mas n√£o ultrapassaram 0,3. O contraste na quantidade e sa√ļde da vegeta√ß√£o tamb√©m √© vis√≠vel de perto, mas us√°mos dados de sat√©lite para obter o resultado mais preciso. O fogo tamb√©m causou danos na composi√ß√£o do solo, degradando-o. Isso √© muito claro com a utiliza√ß√£o da ferramenta Soil. Isso √© muito claro atrav√©s do √≠ndice de Composi√ß√£o do Solo, onde as taxas apresentam uma diferen√ßa significativa ap√≥s o inc√™ndio. Apesar de todos os danos causados, a natureza come√ßou lentamente a voltar a ser o que era antes. A vegeta√ß√£o est√° a voltar a crescer e o solo est√° a ficar mais saud√°vel. No entanto, o microclima da √°rea mudou e ser√£o necess√°rios muitos anos para voltar a ser o que era antes, se √© que alguma vez voltar√°.

A√ß√Ķes para ajudar a amenizar o problema

√Č urgente tomar medidas imediatas: monitorizar continuamente o processo de recupera√ß√£o florestal e as fun√ß√Ķes ecol√≥gicas e fisiol√≥gicas da √°rea florestal ardida Gerir a refloresta√ß√£o Monitorizar as subst√Ęncias nutritivas do solo. Para poder evitar uma cat√°strofe deste tipo, √© necess√°rio informar o p√ļblico sobre os impactos que os inc√™ndios florestais t√™m imposto nos ecossistemas. -Devemos utilizar os dados do sat√©lite Copernicus sobre uma s√©rie de condi√ß√Ķes ambientais e meteorol√≥gicas vari√°veis, para que os cidad√£os e as autoridades municipais possam estar melhor informados para agir de forma inteligente e proactiva, utilizando a aplica√ß√£o de observa√ß√£o remota e dados fundamentados.


Os projetos s√£o criados pelas equipes e elas assumem a responsabilidade total pelos dados compartilhados.
‚Üź Todos os projetos